A Evolução do TEM e a Gestão de Custos de Cloud

A Evolução do TEM e a Gestão de Custos de Cloud
crédito de imagem: Pixabay

A Evolução do TEM e a Gestão de Custos de Cloud

Vivemos um momento desafiador no Brasil. Com a forte crise presente no mercado, que vem afetando de forma contundente vários setores da economia, surge uma necessidade grande nas empresas de controlar e reduzir custos. Isto é uma grande oportunidade.

O mercado brasileiro de Gestão de Custos de Telecomunicações, prática que apoia as empresas no processo de gestão, controle e redução de custos, possui um nível bom de maturidade, porém enfrentamos ainda muitos desafios face a modernização dos sistemas das operadoras, problemas na qualidade dos serviços e principalmente erros na cobrança. Isso fez com que nos últimos anos, os serviços de “TEM”- Telecom Expense Management ou Gestão de Custos de Telecom – como conhecemos por aqui, ganhassem popularidade e mais força, e fez também com que novos players surgissem no mercado.

Conversamos diariamente com diversos clientes de diferentes segmentos, e grande parte deles possui algum tipo de gestão implementada:

seja ela mais simples, feita dentro de casa controlando as faturas e efetuando algum tipo de auditoria manual, ou aquelas mais maduras, que gerenciam o ciclo completo de seus ativos e recursos de telecomunicações – que chamamos de “da aquisição ao pagamento” ou “procure-to-pay”.

É possível obter excelentes ganhos e reduzir os custos atuando em todas as áreas dentro deste conceito, como alguns exemplos dados no meu último post em 5 Passos para Reduzir Custos na Prática com TEM. Mesmo para aqueles clientes que estão em um alto nível de maturidade, ainda há espaço para ganhos com tecnologia, integrações, processos e otimizações. Basta não olharmos somente para Telecom!

O que Vem Depois do TEM

É possível gerenciar outros custos que não somente Telecomunicações? Quais a tendências desse mercado e dessa prática tão importante de gestão de custo? 

A resposta é sim! Os institutos de pesquisa de mercado vem chamando esse conceito de ITEM ou; ITFM; IT Expense Management ou; IT Financial Management respectivamente.

Já há algum tempo, na Tangoe, empresa na qual sou responsável pela área de soluções na América Latina, fizemos o roll-out do Matrix, especificamente do módulo MatrixCloud, cujo objetivo é  gerenciar todos os custos resultantes da utilização de aplicações, infraestrutura e plataformas contratadas como serviço, de forma integrada e na mesma plataforma na qual fazemos a gestão de custos, colhendo assim os mesmos benefícios que a solução de TEM propicia.

O Cloud Invadiu as Empresas

Um exemplo clássico e muito presente no mercado brasileiro e América Latina é o CRM Salesforce®. Clientes com centenas ou milhares de usuários começam a ter os mesmo desafios de gerenciamento, que muitas vezes pode chegar a ter um custo unitário mais alto que uma linha móvel. Com uma licença Enterprise a 125 dólares, basta fazer a conta! Como controlar esse custo de forma efetiva? Auditar o faturamento? Gerenciar o uso das licenças para cada colaborador e efetuar o rateio dessa despesa? Enfim, demos o exemplo de uma aplicação… agora pense em todas as demais aplicações na nuvem?

Empresas em média possuem 613 aplicações Cloud, segundo pesquisa de especialistas em Segurança na Nuvem da Netskope. Com um crescimento de mais de 46% nos últimos 12 meses, isso mostra uma tendência irreversível. Assim como aconteceu com a mobilidade, o fenômeno da nuvem invadiu as empresas e já é uma realidade.

Este movimento trouxe um grande desafio para as empresas:

o uso desorganizado de aplicações cloud pelos colaboradores e diferentes departamentos sem o conhecimento de TI traz, além de custos não gerenciados de forma centralizada, um risco a segurança da informação.

Esse fenômeno conhecido como ShadowIT aborda a utilização de aplicações pela organização na qual TI não tem visibilidade ou controle.

A Shadow IT acontece quando uma pessoa decide usar um serviço baseado em Nuvem sem o conhecimento da empresa. Imagem: Pixabay

Recuperação da Economia & Melhores Cenários

Com um Cloud Assessment, é possível identificar todas aplicações que são utilizadas em sua rede. Dessa forma, iniciar o trabalho para gerenciar essas aplicações, sua utilização e, consequentemente, o seu custo. Assim como fazemos atualmente com todos os recursos e custos de telecomunicações ou, como preferimos chamar, conexões. O mesmo conceito se aplica a outros recursos e ativos de TI e M2M. Mas isso vamos deixar para uma próxima conversa.

Em resumo implementar uma solução de Gestão de Custos que vá além de Telecom, pode apoiar sua empresa nessa evolução e suportar futuros projetos que visam otimizar o uso de outros recursos como aplicações na nuvem, ativos de TI e M2M e alcançar os resultados esperados na redução de custo. Enquanto isso torcemos com otimismo para a recuperação da economia e melhora do cenário.

Para ter maiores detalhes sobre como incluir soluções em nuvem em sua gestão integrada de TI, convido você a baixar dois white papers gratuitos: Serviços da Nuvem Utilizados sem o Controle da TI Significam Problemas e Alcançando a Superioridade na Nuvem: Os Benefícios dos Serviços de Consultoria”.


Texto originalmente publicado por Marcelo Pardo no LinkedIn

529 visualizações, 1 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Marcelo Pardo

Helping Executives Accelerate Digital Transformation
Fechar Menu