Burning Man no Brasil

Burning Man no Brasil

“Uma cidade no deserto. Uma cultura de possibilidade. Uma rede de sonhadores e realizadores.”

Todos os anos 70 MIL pessoas se reúnem no deserto de Black Rock para construir uma cidade temporária embasada em 10 princípios. A formação dessa sociedade alternativa, desperta há 32 anos em cada um dos participantes, a essência da expressão humana. A grande novidade é que o evento terá versão brasileira.

“O Burn é uma oportunidade de explorar a diversidade da expressão humana, da construção de novos valores, de compartilhar um novo sistema, baseado em outros princípios” – diz Devas, artista plástico e contato regional do Burning Man no Brasil.

Missão:

O objetivo do Burning Man é gerar uma experiência que incentiva os participantes a fazer três coisas: (1) expressar-se de forma criativa, (2) desempenhar um papel ativo como membro de nossa comunidade e (3) responder imediatamente e proteger esse ambiente . É nossa intenção combinar essas três formas de comunhão na sua forma mais intensa sempre que possível.

É uma comunidade que se reúne para um experimento social. É um lugar onde se permite experimentar novas “regras do jogo” que são distintas da que vivemos. Afinal, dinheiro é inventado, empresas são inventadas, países são inventados, constituições são inventadas – tudo isso são regras e códigos desse contrato social que chamamos de “normal”. Essa comunidade, até por isso sempre chamada de contra-cultura, se permite explorar: e se dinheiro não existisse? E se não existissem marcas, corporações? E se existisse abundância de recursos? E se fossemos responsáveis por tudo que fazemos – sem garis para limpar nossas ruas, sem alguém para trazer água para nossa casa? E se pudéssemos nos expressar e vestir o que quiséssemos?  E se o que é lindo é também efêmero? Em algum tempo e espaço, alguns desses conceitos não são quebrados – e sim investigados. Por isso que o Burning Man é tão transformador – permite olhar nossa própria realidade de outra perspectiva. (fonte: chickenorpasta)

Crédito: O n e t o n n o o d. Burning Man 2012 – Flickr

História:

Tudo começou em 1986, Larry Harvey e seu amigo Jerry James constroem juntos uma figura de madeira improvisada e arrastam para a praia de Baker no Solstício de Verão de São Francisco. Eles acendem, e uma multidão curiosa se reúne para vê-la queimar.

E então começou.

Em 1988 o evento reunião 200 pessoas, hoje são mais de 70 mil pessoas participando nos EUA. Entretanto o evento espalhou-se e ganhou espaço e novas versões no mundo todo.

A Voicer Vanessa Mathias já participou do Afrika Burn, a versão do Burning Man da África do Sul. Ela escreveu alguns artigos no Blog Chicken or Pasta contando curiosidades sobre o evento, mostrando algumas versões que não são realizadas no deserto e dando várias dicas de como é possível participar. Quer conferir? Deixamos o link aqui: http://bit.ly/2EvSabb

Uma história sobre altos e baixos, baseado no último livro do Dr. Seuss, antes de sua morte, contada por visitantes do Burning Man 2011:

Os fundadores do Google encontraram seu CEO na Burning Man

Créditos: James Addison. Burning Man 2012 – Burn Your Ego – Flickr

 

O Google usou o Burning Man para encontrar um CEO porque eles estavam interessados ​​em encontrar alguém que estivesse familiarizado com o flow.

Uma das coisas que acontece no Burning Man – e há pesquisas recentes de Oxford sobre isso – é que Burning Man altera a consciência de uma maneira muito particular e ele deixa as pessoas em um estado de flow de grupo.

O Flow é um estado de pico de desempenho. É um indivíduo que se apresenta no auge. O Flow de grupo é simplesmente uma equipe que está no auge, e todos têm alguma familiaridade com isso.

O Google baseou-se muito desde a sua criação na criação de estados de flow de grupo. E quando eles estavam procurando por um novo CEO, eles precisavam de uma maneira de pesquisar isso, e isso não aparece na maioria dos currículos.

Desde o início, Larry e Sergey foram participantes ativos no Burning Man. O átrio central do Google durante anos foi decorado com fotos de Googlers em Burning Man.

Eles haviam listado 50 CEOs diferentes no Vale do Silício para entrevista, e descobriram que Eric Schmidt tinha participado do Burning Man. Então, eles colocaram-no no topo da lista, levaram-no ao Burning Man para ver como ele faria. Eles queriam saber se ele seria capaz de soltar seu ego, fundir-se com a equipe, ou ele iria ficar em seu caminho? E acontece que ele passou no teste, e o resultado, Eric foi um dos principais CEO na era moderna.

Quer se aprofundar um pouco mais na história do Burning Man? Assista Spark: A Burning Man History, documentário de 2013:

E você pode acompanhar pelo Facebook o Burning Man Brasil

Veja algumas fotos do evento que separamos para vocês:

A revista alemã trndmsk reuniu em uma playlist nada menos do que 263 sets que rolaram no Burning Man 2017. São mais de 500 HORAS de música com um pouco de tudo: house, techno, dubstep, chill out… etc. Se você não conseguiu ir ao Black Rock Desert, aperte o play e deixe o soundcloud rolando durante toda a semana!


Fontes: Busine Insider/Chiken or PastaBurningman

 

 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Solange Luz

Ela é a construção de todos que conheceu e de tudo que viveu, especialista em sonhar acordada e falar consigo mesma. No Voicers é a CCC (Content, Creator & Curator), carinhosamente conhecida como Queen of Words.
Fechar Menu