Criador da Internet Divulga 9 Princípios para Salvar a Web

Criador da Internet Divulga 9 Princípios para Salvar a Web

Distopia Digital

Em 1989, o cientista britânico da computação Tim Berners-Lee inventou a World Wide Web. Agora, ele está tentando salvá-lo através do Contrato para a Web, um plano de ação global projetado para impedir o tipo de uso indevido da Internet que já estamos vendo hoje.

“Se deixarmos a web como está, há um número muito grande de coisas que darão errado”, disse Berners-Lee ao The Guardian . “Poderíamos acabar em uma distopia digital se não mudarmos as coisas. Não é que precisemos de um plano de 10 anos para a web, precisamos mudar a web agora. ”

Nove Princípios

contrato de Berners-Lee , desenvolvido por sua Web Foundation com contribuições de mais de 80 organizações, inclui nove princípios centrais – três para governos, três para empresas e três para cidadãos.

Princípio 1:Garanta que todos possam se conectar à Internet

Para que qualquer pessoa, independentemente de quem seja ou onde mora, possa participar ativamente on-line, através de definição e rastreabilidade de metas politicas, que sejam ambiciosas. Criar estruturas de políticas robustas e instituições de aplicação transparentes para alcançar esses objetivos, mediante.

Princípio 2 – Internet de alta qualidade disponível, o tempo todo

Estabelecendo estruturas legais e regulamentares para minimizar as interrupções na Internet acionadas pelo governo e garantir que qualquer interferência seja feita apenas de maneira consistente com a lei de direitos humanos. Através de diálogos e mecanismos nacionais e internacionais com várias partes interessadas para garantir a manutenção de conexões ininterruptas à Internet e promover uma Web que não seja restrita por políticas públicas nas fronteiras.

Princípio 3 – Respeite e proteja a privacidade online fundamental e os direitos de dados das pessoas

Proteger o direito fundamental à privacidade das pessoas nos setores público e privado, sustentado pelo Estado de Direito. Essas estruturas devem ser aplicáveis ​​a todos os dados pessoais – fornecidos pelo usuário, observados ou inferidos Para que todos possam usar a Internet de forma livre, segura e sem medo

Princípio 4 – Tornar a Internet barata e acessível a todos

Para que ninguém seja excluído do uso e modelagem da Web. Elaborando políticas que atendam às necessidades de grupos sistematicamente excluídos

Princípio 5 – Respeite e proteja a privacidade e os dados pessoais das pessoas para criar confiança online

Dar às pessoas o controle sobre sua privacidade e direitos de dados, com opções claras e significativas para controlar processos que envolvem sua privacidade e dados

Princípio 6 – Desenvolver tecnologias que apoiem o melhor da humanidade e desafiem o pior

A Web é realmente um bem público que coloca as pessoas em primeiro lugar. Portanto deve ser inclusiva, sutentável, acordar com os direitos humanos estabelecidos pelo ONU e investir e apoiar os bens comuns digitais.

Princípio 7 – Sejam criadores e colaboradores na Web

A Web possui conteúdo rico e relevante para todos, é preciso participar ativamente da modelagem da Web, incluindo conteúdo e sistemas disponibilizados por ela. Alavancar e promover o uso de licenças abertas para compartilhar informações de interesse público; Compartilhando as melhores práticas e diretrizes para ajudar a criar e desenvolver uma Web focada nas necessidades dos cidadãos; Defendendo a tecnologia padrão que seja aberta e acessível a todas as pessoas, independentemente de suas habilidades; Produzir ou traduzir conteúdo para idiomas minoritários locais.

Princípio 8 – Construir comunidades fortes que respeitem o discurso civil e a dignidade humana

Trabalhando em direção a uma Web mais inclusiva, adotando on-line as melhores práticas do discurso civil e educar a próxima geração sobre esses assuntos e comprometer-se a ampliar as mensagens de grupos sistematicamente excluídos e defendê-los quando forem alvo ou abuso.

Princípio 9 – Lute pla Web

A Web permanece aberta e um recurso público global para pessoas de todos os lugares, agora e no futuro.

Esforço Da Equipe

Até agora, mais de 150 organizações endossaram o contrato, incluindo Facebook, Google e Microsoft. Ele também tem o apoio de vários governos, incluindo os da França e da Alemanha – mas o objetivo é envolver todos.

“Em última análise, precisamos de um movimento global para a web, como temos agora para o meio ambiente, para que governos e empresas respondam muito mais aos cidadãos do que são hoje”, disse Emily Sharpe, diretora de políticas da Web Foundation, ao The Guardian . “O contrato estabelece as bases para esse movimento.”

Fonte: Futurism e Contractfortheweb

Comentários Via Facebook
compartilhe

Solange Luz

Ela é a construção de todos que conheceu e de tudo que viveu, especialista em sonhar acordada e falar consigo mesma. No Voicers é a CCC (Content, Creator & Curator), carinhosamente conhecida como Queen of Words.
Fechar Menu