Energia Livre | Como isso Afetará Nossas Vidas no Futuro?

Energia Livre | Como isso Afetará Nossas Vidas no Futuro?

Energia Livre

A tecnologia está fazendo o custo de muitas coisas se aproximar de zero. As coisas pelas quais costumávamos pagar muito agora são baratas ou mesmo gratuitas. Pense em quanto custa comprar um computador; fazer ligações interurbanas; tirar fotos; assistir filmes; ouvir música ou até viajar para outro estado ou país. Mais adiante, outras coisas, mais do que as necessidades do dia-a-dia, se juntarão a essa lista – incluindo, possivelmente, eletricidade.

Isso é ótimo, certo? Quem não ama coisas grátis?

O caso da energia, no entanto, é mais complexo.

O custo para captar energia solar continua caindo . Em outubro de 2017, as ofertas para uma usina solar da Arábia Saudita chegaram a 1,79 centavos de dólar por quilowatt / hora, quebrando o recorde anterior em Abu Dhabi de 2,42 centavos / kWh . É verdade que não é coincidência que esses preços excepcionalmente baixos estejam vindo de algumas das partes mais ensolaradas do mundo. Para efeito de comparação, o preço médio residencial de eletricidade nos EUA em 2017 foi de 12,5 centavos / kWh.

Apenas quando pensamos que os preços não podem ir mais baixos, eles o fazem. Talvez a parte mais surpreendente sobre o declínio contínuo dos preços seja que isso acontece apesar das baterias . As baterias baratas e eficientes ainda são o maior gargalo para as energias renováveis. Porém é apenas uma questão de tempo até que a energia solar se tornem realidade e transformem cada superfície de vidro ao ar livre em uma usina de energia de pequena escala.

Como seria um mundo de energia livre para todos?

A eletricidade se tornaria onipresente em muitas partes do mundo onde ainda não é o caso. Em outros lugares, as contas de energia elétrica desapareceriam . Os custos de fabricação despencariam, assim como os custos de transporte, bem como praticamente todos os custos .

O dinheiro que economizaríamos em energia poderia ser usado em programas sociais, talvez gerando uma renda básica universal que ajudaria a criar sociedades mais justas e equitativas. Se tudo custasse menos, não precisaríamos trabalhar tanto para ganhar dinheiro, liberando nosso tempo para buscar empreendimentos criativos ou outras paixões pessoais .

O outro Lado da Moeda

Paradoxo de Jevons sustenta que, à medida que o progresso tecnológico aumenta a eficiência de um produto ou recurso, a taxa de consumo desse recurso aumenta devido à crescente demanda, anulando efetivamente qualquer economia de eficiência.

Os países do Oriente Médio, onde os preços da eletricidade são os mais baratos do mundo, apresentam um bom exemplo. O uso excessivo de energia é comum e não há incentivo para o uso.

À medida que a energia se torna mais barata em outras partes do mundo, as pessoas usarão mais e a primeira vítima será o planeta. Mesmo que a energia seja renovável, isso não significa que não haverá custos ambientais; poderia haver repercussões que nem imaginamos ainda, assim como quem inventou o plástico provavelmente nunca imaginou que envenenaria a vida marinha.

Então, como a energia fica mais barata e, finalmente, se move em direção a ser livre, como lidamos com a sua abundância com sabedoria? A regulamentação governamental desempenhará um papel, assim como as forças de mercado, apesar da ausência de ímpeto econômico.


*Esse artigo apresenta dois caminhos que podem ser alcançados quando a energia tornar-se livre para todos, assim como todas as potencias tecnologias. Mas no Voicers acreditamos que se houver humanos melhores preparados, a relação humano/terra será de equilíbrio.

Uma das Teck Talks do Voicers apresenta esse conceito, e traz o fundador do Vector Equilibrium 

Crédito de imagem:  Len Green / Shutterstock.com

Fonte: Singularity Hub
* Nota da Redação Voicers

487 visualizações, 1 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Solange Luz

Ela é a construção de todos que conheceu e de tudo que viveu, especialista em sonhar acordada e falar consigo mesma. No Voicers é a CCC (Content, Creator & Curator), carinhosamente conhecida como Queen of Words.
Fechar Menu