As Gêmeas CRISPR da China Podem Ter Seus Cérebros Aprimorados

As Gêmeas CRISPR da China Podem Ter Seus Cérebros Aprimorados

Novas pesquisas sugerem que um controverso experimento de edição de genes para tornar as crianças resistentes ao HIV também pode ter aumentado sua capacidade de aprender e formar memórias

Cérebro da Galáxia

Quando o cientista chinês He Jiankui editou os genes das bebês gêmeas no ano passado, ele estava tentando torná-las imunes ao HIV. Mas pesquisadores familiarizados com as mudanças genéticas que ele fez estão agora dizendo que a manipulação específica que ele realizou pode ter consequências mais amplas.

Photo of Dr. Jiankui He
He Jiankui posa para as câmeras da Associated Press nos dias que antecederam sua experiência com edição de genes. Imagem: Mark Schiefelbein | AP

O gene CCR5 está ligado à suscetibilidade ao HIV, mas pesquisas publicadas na quinta-feira (21) na revista Cell mostram que ele também aumenta a cognição em estudos com camundongos. O gene também pode facilitar a recuperação de um humano após um derrame cerebral e pode correlacionar com o sucesso acadêmico, de acordo com o MIT Technology Review – o que significa que os dois primeiros seres humanos melhorados com cognição e memória geneticamente estimuladas já podem ter nascido

Ignorância Feita

Não há evidências diretas de que ele pretendia fazer alguma coisa para as bebês gêmeas Lulu e o cérebro de Nana – apesar de seus objetivos elevados para um futuro sem HIV, parece plausível que ele também tenha celebrado descobrir como aumentar a inteligência humana. Mesmo assim, as evidências coletadas pelo MIT Tech Review sugerem que ele provavelmente sabia sobre o papel que o CCR5 desempenha no cérebro.

“A resposta é provavelmente sim, afetou seus cérebros”, disse Alcino Silva, neurocientista da Universidade da Califórnia em Los Angeles que trabalhou na nova pesquisa. “A interpretação mais simples é que essas mutações provavelmente terão um impacto na função cognitiva dos gêmeos”.

Efeitos Colaterais Desconhecido

Silva argumenta que Ele não deveria ter conduzido sua pesquisa porque não há como prever o efeito que isso terá nas vidas de Lulu e Nana.

“Poderia ser concebível que em um ponto no futuro poderíamos aumentar o QI médio da população? Eu não seria um cientista se dissesse que não”, disse Silva ao MIT Tech. “O trabalho em ratos demonstra que a resposta pode ser sim. Mas os ratos não são pessoas. Nós simplesmente não sabemos quais serão as consequências. Ainda não estamos prontos para isso.”

Para saber mais Leia em:
The CRISPR twins had their brains altered [MIT Technology Review]

Fonte: Futurism

99 visualizações, 3 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Leonardo Fernandes

No estilo Observar & Absorver, possui a mente sempre em construção. Um Jedi no design, inspira música & arte. No Voicers é nosso Produtor Multimídia & Creative.
Fechar Menu