Hackathon Traz Ideias para Combater Morosidade Judicial

Hackathon Traz Ideias para Combater Morosidade Judicial

Uma maratona de 30 horas em um evento que reuniu desenvolvedores, designers, estatísticos e advogados, resultou em soluções para combater a morosidade judicial através da jurimetria – estatística aplicada ao direito. O Legal Hack, realizado nos dias 25 e 26 de novembro, pela Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), utilizou a Shawee – plataforma de educação corporativa e mudança de mindset.

A equipe vencedora desenvolveu o projeto de uma plataforma que pode funcionar como “Central de Apoio” para indicar, por meio de cruzamento de dados do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, a probabilidade percentual de sucesso em uma conciliação. O grupo “I’m Still Standing” criou um simulador que pode fazer o cruzamento de processos antigos já conciliados, chegando, dessa forma, a uma estatística provável para um acordo. O grupo idealizador recebeu R$ 8 mil e um mês no Coworking Spaces para desenvolver a ideia.

O Setor Judiciário Também Precisa Evoluir:

O presidente da Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), Dr. Marcelo von Adamek, acredita que a justiça precisa evoluir assim como o mundo evoluiu. “Tudo se transformou com a chegada de novas tecnologias. É importante existir sinergia entre o judiciário e as inovações tecnológicas para tornar mais ágeis os processos diários dos advogados e da sociedade”, afirmou.

Para Jonathan Nelson, gerente de Inteligência de Mercado e de Novos Negócios da AASP, o grande desafio foi identificar os gargalos que causam a morosidade no sistema judiciário. “73% dos processos que tramitam desde 2016 não foram solucionados. A média de tempo que temos para uma resolução na esfera estadual é de sete anos e cinco meses. Com isso, foi verificada a necessidade dos processos passarem por uma tentativa de conciliação e mediação, com o objetivo de agilizá-los e de desafogar o sistema”, comentou.

De acordo com Rodrigo Terron, sócio e fundador da Shawee, o evento trouxe muitas ideias, que, em breve, poderão ser colocadas em prática. “Pudemos perceber, em diversos projetos conduzidos pela Shawee, o crescente interesse em frentes como combate à corrupção, inadimplência e, agora, jurídico. O Legal Hack trouxe mais de 100 pessoas entre participantes, mentores e jurados, que, nessas 30 horas de evento, trouxeram soluções disruptivas e de impacto. Ficamos orgulhosos em participar de todo o processo e em ver que podemos contribuir para melhorar a questão da agilidade do sistema judiciário. Mas, de qualquer forma, o hackathon é apenas um dos elos dessa corrente”, concluiu.

Fonte: CDI Comunicação Corporativa

Comentários Via Facebook
compartilhe

Solange Luz

Ela é a construção de todos que conheceu e de tudo que viveu, especialista em sonhar acordada e falar consigo mesma. No Voicers é a CCC (Content, Creator & Curator), carinhosamente conhecida como Queen of Words.
Fechar Menu