Respirar: A Principal Tecnologia

Respirar: A Principal Tecnologia

Texto de Claudia Nascimento

Estou há alguns dias em SP, vim para aproveitar o evento do Voicers com os insights sobre o SXSW.

O que achei interessante é que em um local pra falar sobre tecnologia e futuro o que mais me chamou atenção foram coisas nem um pouco tecnológicas. Comidinhas veganas que me lembraram que tudo que está nesse mundo tem o direito a uma vida digna, inclusive os animais. Depois o local tinha bancos, pufes, almofadas e aí eu comentei com minhas outras 3 companheiras +50 que não pensaram na gente, sem encosto ou sentadas no chão íamos precisar de um guincho pra nos ajudar a colocar o esqueleto no lugar. Dei um jeito me apoiando em uma das mesas.

Começamos nos concentrando na importância do respirar e eu sempre me surpreendo como o óbvio é difícil de ser observado: o que separa a vida da morte é a respiração, então ela é fundamental.

Depois ouvimos médicos integralistas falando que saúde e doença são partes da mesma vida e o cuidado com a saúde determina a força das doenças que vamos ter.

Então o que mais me chamou atenção não foram os carros que vão voar ou óculos ou realidades com Avatares mas aquilo que é tão simples: respirar, movimentar-se, comer comida de verdade. Se você não sabe o que é comida de verdade mostre pra uma pessoa de 80 anos, se ela não souber o que é, esqueça. Foi feita em alguma cozinha obscura usando-se ingredientes que só Deus sabe de onde saíram.

Eu sempre penso em como toda descoberta ou invenção humana serve a dois propósitos: um bom e outro muito ruim. Desde o domínio do fogo que permitiu que a gente se aquecesse, cozinhasse e se protegesse de animais até a roda que leva desde uma ambulância até um carro bomba. E aí temos o avião, a pólvora, a energia elétrica e todas as coisas boas que você puder lembrar.

As redes sociais não foram criadas para humilhar, destruir reputações, expor pessoas e comportamentos que você não teria na frente de sua mãe. Os robôs podem carregar peso e fazer o mesmo movimento por horas seguidas e isso é bom. A internet me permitiu estudar, encontrar pessoas e escrever. Então não, o problema não são as invenções que mudam comportamentos, na verdade apenas amplificam comportamentos ruins de pessoas que se controlam apenas quando se sentem vigiadas e na internet sentem-se livres pra serem o que são.

Procurei a vida toda dar aos meus filhos um senso de caráter e valores que não mudam ao sabor do vento. Se é errado roubar, xingar, humilhar, continua errado mesmo quando todos a sua volta estão fazendo isso.

Essas reflexões me deram muita esperança porque acredito que existem muitas pessoas boas que compartilham bondade, que abrem portas e que ensinam caminhos.

Se você pode fazer um bem pra alguém, ela nunca mais vai se esquecer de você e a roda da vida vai trazer outras pessoas que te retribuirão, com certeza. Tenho vivido isso na minha vida. Tantas pessoas tem dividido seus conhecimentos comigo, me indicado caminhos, mostrado opções que tudo que desejo é fazer o mesmo com outros que se sentem a margem nessa vida.

E a vida começa com um suspiro e termina assim também, esse intervalo entre o primeiro e o último é entregue em nossas mãos e todos os dias vamos poder escolher como queremos que ele seja.

Afinal os rumos do futuro são alicerçados no hoje, que tipo de ser humano estamos sendo pra que no futuro não tenhamos arrependimento e quando chegar a hora do último suspiro a gente veja que valeu a pena nosso intervalo por aqui?

Então meu obrigado a todos que estão compartilhando suas vidas e conhecimentos comigo, prometo que vou fazer o mesmo com outras pessoas e contribuir para que o futuro não seja somente um desejo sem nenhuma atitude concreta para que se torne realidade.

Comentários Via Facebook
compartilhe
Fechar Menu