Inteligência Artificial Acelera Combate a Malária

Inteligência Artificial Acelera Combate a Malária
Fonte de imagem: wired

A Insilico Medicine e a Longenesis estão trabalhando no Malaria.AI, um sistema acionado por dados e alimentado por inteligência artificial para rastreamento e prevenção da malária.

A malária é uma das mais antigas doenças infecciosas e ainda afeta muitas pessoas em países tropicais. O controle da doença é constantemente freado pelas novas resistências dos parasitas aos medicamentos disponíveis. Porém, uma subsidiária da Insilico Medicine, chamada Insilico Taiwan, acaba de desenvolver uma A.i. (Inteligência Artificial) que acelera a produção de novas alternativas e tratamentos da doença, permitindo assim uma mais rápida resposta a eventuais surtos ao redor do mundo. Esse é mais um exemplo de como a Inteligência Artificial está mudando o mundo em diversas áreas, mostrando que no futuro tudo funcionará com alguma proporção de A.I. incluída no meio.

Meio milhão de mortes por ano.

Acredita-se que o Plasmodium falciparum , o mais perigoso parasita da malária humana, cause centenas de milhões de doenças e cerca de meio milhão de mortes por ano. O controlo da malária foi dificultado pelo aumento da resistência dos parasitas da malária aos medicamentos disponíveis. Novas drogas antimaláricas, idealmente direcionadas contra novos alvos, são urgentemente necessárias. Para enfrentar esse desafio, pesquisadores do Insilico Taiwan estudaram extensivamente os mecanismos pelos quais o inibidor de protease E64 se aproxima, interage e inibe o FP2. A eficácia do E64, seu mecanismo de ação e os potenciais dos derivados do E64 em ter baixa toxicidade em humanos fazem do E64 e seus derivados potenciais candidatos a fármacos para tratar doenças com altos níveis de proteases de cisteína como causa primária.

Os resultados do estudo mostraram que a ligação de E64 e FP2 é facilitada pelos aminoácidos de FP2 localizados dentro e próximo da bolsa de ligação previamente identificada de FP2. Isto sugere que o desenho do fármaco antimalárico não deve concentrar-se apenas em encontrar candidatos a fármacos que se liguem fortemente aos resíduos da bolsa de ligação estabelecida, mas também considerar a necessidade de o fármaco ser capaz de se ligar aos resíduos circundantes dos subsites de ligação estabelecidos. .

“As equipes da Insilico Medicine e Insilico Taiwan estão dedicadas a resolver os problemas mais desafiadores na área da saúde. Temos cientistas brilhantes trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana para ajudar pessoas em todo o mundo. Insilico Taiwan tem o prazer de apresentar o trabalho sobre a malária que potencialmente pode ajudar a salvar milhões de vidas “, diz Artur Kadurin, CEO da Insilico Medicine Taiwan

Acesse o estudo completo aqui: https://go.nature.com/2RRINss

Fonte: Eurekalert; 5ª EraTrends

621 visualizações, 3 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Solange Luz

Ela é a construção de todos que conheceu e de tudo que viveu, especialista em sonhar acordada e falar consigo mesma. No Voicers é a CCC (Content, Creator & Curator), carinhosamente conhecida como Queen of Words.
Fechar Menu