Jornada da Heroína | Ligia Zotini

Jornada da Heroína | Ligia Zotini

A história mais importante que qualquer um de nós irá contar, é nossa própria história” – Peter de Kuster

Contar histórias é um traço humano universal. Emerge espontaneamente na infância, e existe em todas as culturas até agora estudadas. Também é antigo: algumas histórias específicas têm raízes que se estendem por cerca de 6.000 anos.

Peter de Kuster é autor dos livros The Heroine’s Journey e do guia Hero’ s Journey. Após uma experiência que quase o levou a morte em 2007, Peter decidiu aproveitar a chance que teve e dedicou-se a fazer o que mais gostava. Viajou por diversas cidades do mundo e escreveu dezenas de livros.

Peter e suas Histórias

Inspirado por Joseph Camphell um escritor famoso por seus estudos de mitologia, autor da obra O Herói de Mil Faces. No livro, Campbell discute a teoria da jornada do herói arquetípico, encontrada em inúmeras mitologias e culturas ao redor do mundo. Segundo o Wikipédia sua teoria influenciou diversos artitas, o exemplo mais conhecido é George Lucas (de Star Wars). Peter decidiu desenvolver um novo tipo de guia.

O guia de uma viagem de heróis das grandes cidades do mundo. Repleto de histórias peculiares, de lugares distintos e de pessoas que ganham dinheiro fazendo o que amam.

Em 2012 Kuster convidou profissionais de todo o mundo para contar e compartilhar sua história sobre suas paixões, o que os faz felizes, quais são seus piores inimigos, como e onde obter inspiração em sua cidade. Em resumo, para contar a história atual. Desde o início em 2012 até hoje, 125.000 profissionais já aceitaram o convite, e o número vem crescendo a cada dia.

Essa semana ele fala sobre a história da heroína Ligia Zotini Mazurkiewicz, que você pode conferir abaixo:

Qual é a coisa que amo sobre o meu trabalho?

Eu sou uma pesquisadora sobre o futuro, trabalhando em vários projetos com diferentes marcas, mas um é especial e gostaria de contar aqui: Voicers (www.voicers.com.br). Nossa grande paixão nesse projeto é trazer o futuro ao presente, compartilhando todas as vozes incríveis que não só vivem a frente do seu tempo, mas também têm a moral, a mentalidade e o comportamento corretos para construir esse futuro exponencial. Acreditamos no Voicers, que continuar a desenvolver os seres humanos na mesma velocidade que as tecnologias é tão ou mais importantes para esse futuro ser positivo e não distópico. Abaixo você pode encontrar o Manifesto Voicers:

Qual é a minha ideia de felicidade perfeita?

A felicidade perfeita já significou algumas coisas ao longo da minha jornada, mas a constância sempre foi reciprocidade, em relação ao lugar e as pessoas que tenho ao meu redor: dar/receber, ensinar/aprender, ajudar/ser ajudado, amar/ser amado, isso é felicidade perfeita para mim hoje.

Qual é o meu maior medo?

Não viver plenamente o que eu vim fazer aqui!

Qual é o traço que eu menos gosto em mim?

Eu gostava muito de ter tudo sob controle. Venho trabalhando muito para minimizar ao máximo essa caraterística, pois o controle é uma grande ilusão.

Quais pessoas vivas na minha profissão admiro mais?

Jason Silva, amo a maneira como ele traduz tecnologia e adiciona arte, ciência, design, poesia, filosofia para explicar o que é o progresso e o futuro.

Qual é a minha maior extravagância?

Meu desejo de conhecer um lugar e estar lá fisicamente assim que puder! Sou uma viajante, estive em muitos lugares, viajei pelo mundo, sempre na busca por algo novo.

Em que ocasião eu mentiria?

Eu vivo sob o código “não minto”, mas enfrentando situações injustas com pessoas amadas, eu mentiria.

Qual é a coisa que eu não gosto no meu trabalho?

Quando você trabalha com Futurismo e Tecnologia, o lado humano geralmente fica de lado, as pessoas têm muitos medos e fobias da máquina. Conhecer pessoas distópicas que costumam alimentar a distopia sobre o futuro e a tecnologia é hoje o que menos gosto de encontrar.

Quando e onde eu fiquei mais feliz, no meu trabalho?

Toda vez que eu pude ajudar a mudar a situação ou a crença de uma pessoa sobre o futuro e como a tecnologia nos ajudará, foi quando eu fiquei mais feliz.

Se eu pudesse, o que eu mudaria sobre mim?

Minha necessidade de controle, mas como expliquei acima, já estou na jornada para melhorar isso.

Qual é a minha maior conquista no trabalho?

A vida me deu a chance de viver coisas incríveis e sou muito grata por isso, de projetos de microcréditos na Índia para as missões tecnológicas em Nova York e no Vale do Silício. Mas sucesso para mim hoje em dia é: “Admirar uma pessoa e ser admirada por ela.”

Onde eu mais gostaria de viver?

Vão me ver repetindo este Mantra muitas vezes: “O melhor lugar para se viver é o FUTURO”, mas se eu precisar escolher uma localização geográfica no planeta, adoraria viver na Irlanda, tenho certeza que já fui irlandesa em alguma outra vida!!

Qual é a minha posse mais preciosa?

Minhas experiências nesta incrível jornada chamada vida, eu não me arrependo de nada, tudo me trouxe até aqui, para quem eu sou hoje.

Qual é a minha característica mais marcante?

Paixão

Qual é o lugar que mais me inspira, na minha cidade

A casa do meu avô, na Represa Billings em São Paulo, vou todos os domingos se estou na cidade, desde o meu primeiro mês de vida.

Qual é o meu lugar favorito para comer e beber na minha cidade?

O Velhão pela fantástica história e deliciosa comida.

Quais livros influenciaram minha vida e como?

Muitos, sou constantemente influenciada por todos os livros que leio, mas um é especial para mim: “Assim Falava Zaratustra”. O brilhantismo e a profundidade de cada capítulo, moldaram muitas das coisas que eu acredito na vida hoje. Além disso, mesmo esse não sendo um livro de poesia, é dele um dos meus poemas favoritos, se um dia eu me casar ou tiver filhos será segundo o texto desse livro: “Do Casamento de dos Filhos”.

Quem são meus escritores favoritos?

Nietzsche

Que música ouviria no meu último dia?

My Way – Sinatra

Quem é meu herói ou heroína na ficção?

Daenerys Targaryen de Game of Thrones.

Quem são meus heróis e heroínas na vida real?

Meus Pais representando a todos antes deles, eu venho de família de imigrantes, que foram muito corajosas.

Qual filme eu recomendaria ver uma vez na vida?

A Trilogia Antes do Amanhecer do brilhante Linklater.

Qual papel desempenha a arte na minha vida e trabalho?

Vital, eu não morreria sem ela, mas eu também não poderia chamar de vida.

Quem é meu maior fã, patrocinador, parceiro no crime?

Minha mãe

Com quem gostaria de trabalhar em 2018?

Vozes incríveis que estão vivendo no futuro, que ainda não conheci!

Quais pessoas na minha profissão adoraria conhecer em 2018?

Jason Silva

Em que projeto, em 2018, estou ansioso para trabalhar?

É chamado “Bridges to the Future”, mas agora não posso falar muito sobre isso, fiquem ligados!

Onde você pode me ver ou meu trabalho em 2018?

No portal Voicers: www.voicers.com.br

O que as palavras “Passion Never Retires” significam para mim?

Que eu viverei uma vida intensamente, ou como Spock diria, uma Vida longa e Próspera até o fim!

Quais heroínas criativas Peter deveria convidar para contar sua história?

Tania Zaccharias, Hellene Louise Silveira Fromm, Jeni Shih, Natasha Bontempi.

Como você pode me contatar?

https://www.facebook.com/ligia.zotinimazurkiewicz


Ficou curioso, quer conhecer outras jornadas e quem sabe enviar a sua. Acesse: The Heroine’a Journey

Você também pode acompanhar a Jornada da Heroína Natasha Bontempi: http://www.voicers.com.br/jornada-da-heroina-natasha-bontempi/

E a Jornada da Heroína Hellene Fromm: http://www.voicers.com.br/jornada-da-heroina-hellene-fromm/

 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Ligia Zotini Mazurkiewicz

Tem o dom de fazer pontes entre teoria e prática, apaixonada desde muito cedo por tecnologia e como ela irá levar a sociedade para um patamar mais humano, para isso ela hackeia burocracia de sistemas antigos onde quer que esteja. Viajante nas horas vagas gosta de explorar cada canto & encanto deste mundo.
Fechar Menu