A Consciência que Brota em Situações Desagradáveis Pode Trazer uma Grata Surpresa

A Consciência que Brota em Situações Desagradáveis Pode Trazer uma Grata Surpresa

Às vezes demora a cair a ficha do que aconteceu.

Semana passada, fui ver o filme Bohemian Rapsody lá na Av Paulista. Enquanto eu esperava o Uber e conversava com meus amigos, um cara de bicicleta tentou furtar meu celular. Meu santo é forte e ele não conseguiu.

Logo após o susto, repirei e prestei atenção no meu corpo: minhas pernas tinham ganhado energia extra e meus braços estavam gelados, meu coração aumentou os batimentos cardíacos. Notei meu celular nas minhas mãos. Estava tudo bem comigo. Então olhei para meus amigos (um deles ameaçou correr e depois desistiu, ainda bem) porque, atrás do 1o cara, vinham mais 2 de bicicleta também (esperando qualquer rescaldo). Ao redor, várias pessoas olhavam. Percebi que fiquei com uma ligeira raivinha que passou logo. Isso tudo em, no máximo, 5 segundos.

Protegi o celular e em 1 minuto o Uber chegou. Quando entrei no carro, já tinha retomado o mesmo estado de antes do ocorrido. Essa é a tal da resiliência. Não tive vontade de postar nada nas redes sociais, porque isso só causa estardalhaço e faz as pessoas ficarem com medo. Até que tive o insight do que aconteceu comigo fisiológicamente, muito antes do roubo acontecer.

Pratico Mindfulness diariamente há 3 anos. Um dos efeitos já comprovados pelos cientistas é o aumento da massa cinzenta (aquela parte mais externa, o cérebro pensante). Quando eu digo aumento, significa que ele ganha mais sinapses. Outro efeito é a diminuição do sistema límbico (que é a parte bem no meinho, o cérebro emocional, responsável pelas nossas reações quando corremos perigo).

Só hoje, enquanto eu contava pela décima vez o ocorrido, que me dei conta que não era um só exemplo de resiliência, mas a prova de que eu realmente estou alterando conexões neurais.

Quando respirei, deu tempo do meu cérebro pensante (que é mais lentinho) entrar em ação e analisar todo o acontecido. Enquanto isso, impedi que fosse acionado sistema de luta e fuga (não corri do cara que tentou me roubar nem tentei lutar com ele). Isso se chama neuroplasticidade.

Não é mágica essa máquina que chamamos de corpo?? Fico maravilhada! Ele recebe updates muito mais rápido que vários sistemas operacionais, dependendo da forma como você treina ele. Talvez eu esteja rackeando meu cérebro!

No final, ainda ganhei de presente uma história para contar…

189 visualizações, 2 

Comentários Via Facebook
compartilhe

Natasha Bontempi

Facilitadora de desenvolvimento humano e líder de Mindfulness. É uma "believer" e ativista pelo auto-conhecimento.
Fechar Menu